Newsletter

   
KTB
show/hide Cesto de Compras (0 items)

Herpes - Newsletter nº10

12/12/2012

KTB
Se tiver dificuldades em visualizar esta newsletter, por favor clique aqui.
KTB
KTB
KTB
KTB
Dezembro 2012

Pensamento do mês:
É erro vulgar confundir o desejo com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os. ( Alexandre Herculano)


KTBCerca de 90% da população sofre de Herpes labial ou genital, no entanto apenas uma pequena parcela apresenta a doença. O Herpes é uma infecção causada pelo vírus herpes simples (herples simplex) 1 ou 2. Este vírus é responsável pela doença localizada nos lábios, boca e na região genital, afectando tanto homens como mulheres.

Este é um vírus que permanece em estado latente no organismo dentro dos gânglios, por toda a vida, manifestando-se esporadicamente. Fica à espera de um qualquer factor desencadeante, que tanto pode ser a fadiga, o stress, a febre, as infecções, as alterações hormonais ou um pequeno traumatismo nos lábios causado, por exemplo, pelo barbear ou durante um tratamento dentário.

As temperaturas também têm influência, na medida em que este vírus é sensível aos extremos: em períodos de muito frio ou muito calor tende a sair do seu esconderijo e a manifestar-se. As crises duram cerca de 2 a 3 semanas desaparecendo, habitualmente sem deixar sequelas.

As lesões na pele em redor dos lábios denunciam facilmente os surtos de herpes labial: são pequenas bolhas que se agrupam como se fossem uma flor, que causam desconforto físico mas são, sobretudo, fonte de algum incómodo social.

KTBO Herpes labial é transmitido por contacto directo de outra pessoa infectada, através de objectos colocados na boca, ou mesmo pelo beijo através do contacto com fluidos infectados - neste caso, o líquido que enche as pequenas bolhas.

O Herpes genital transmite-se pela via sexual com pessoas infectadas e com a doença activa, esta caracterizada por bolhas e feridas com secreção.Quem sofre de Herpes saberá pois o quão desconfortável é este quadro clínico, que independentemente da localização se manifesta e evolui do seguinte modo:
  • Ardor ou prurido na pele
  • Formação de bolhas com inchaço e vermelhidão no local,
  • Ruptura das bolhas com formação de uma ferida com secreção (é neste período que a doença pode ser transmitida com maior facilidade),
  • A ferida seca formando-se uma "casca" e após esta fase ocorre a cicatrização.
Para evitar a manifestação desta doença, uma vez que é considerada crónica, é necessário acima de tudo ter um bom sistema imunológico que evite a sua activação. Por esse motivo que a KTB sugere um protocolo terapêutico adaptado a cada pessoa que reduz o tempo da manifestação bem como a intensidade da lesão. (Qualquer um destes medicamentos pode ser tomado juntamente com outras opções terapêuticas.)

Para o Herpes com erupção de cor amarela aquosa e estimulação imunológica:
Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 4
Kalium Chloratum
saiba mais

KTB Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 11
Silicea
saiba mais

KTB
1 comprimido de cada sal, 3 vezes por dia
Para o Herpes com erupção de cor amarela escura e estimulação imunológica:
Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 10
Natrium Sulfuricum
saiba mais

KTB Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 11
Silicea
saiba mais

KTB
1 comprimido de cada sal, 3 vezes por dia
Para o Herpes com erupção de conteúdo purulento e de cor amarela e estimulação imunológica:
Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 9
Natrium Phosphoricum
saiba mais
KTB Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 11
Silicea
saiba mais
KTB
1 comprimido de cada sal, 3 vezes por dia
Para o Herpes com erupções que apresentam mucosidade:
Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 2
Calcium Phosphoricum
saiba mais
KTB Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 11
Silicea
saiba mais
KTB
1 comprimido de cada sal, 3 vezes por dia


Para além das medidas terapêuticas mencionadas, a KTB sugere em paralelo o seguinte:
KTB
KTB  Plantas medicinais como a erva-cidreira (após o seu cozimento) em aplicação local e a equinacea possuem efeitos anti-virais.
KTB  Alimentos como o alho, a papaia, a toranja, o alperce, a pêra, a maçã e os figos, podem também contribuir para uma melhoria do quadro clínico.

 
KTB  Evitar lácteos, açúcares e alimentos processados para uma melhor imunidade.

KTB  Reduzir níveis de stress pela sua influência negativa sobre a imunidade.
KTB

DESTAQUE
DHU
Rinite? A resposta está no Luffa Nasentropfen Spray Nasal da DHU! Sem efeitos secundários, simples de usar e bastante eficaz, a KTB destaca este medicamento homeopático que pode ser utilizado por todas as idades.


KTB
Luffa operculata D4 1,0g

KTB
1 a 2 instilações em cada narina, 3 vezes por dia

Luffakind
Luffakind
Para os mais pequenos, o Luffakind é outra alternativa segura e eficaz para ajudar a tratar a rinite alérgica na fase aguda ou como prevenção.

KTB
  • Luffa operculata D4 30mg
  • Galphimia glauca D4 40mg
  • Cardiospermum D3 30mg
Excipiente: sacarose

KTB
A KTB Produtos Farmacêuticos SA deseja a si e aos seus um Santo e Feliz Natal e um Bom Ano Novo !
KTB
KTB
KTB
KTB
Morada Estrada Nacional 249/1 Edifício SKF, Lote 1, Casal de Alfragide
2720-413 Amadora
Telefone (+351) 214 188 407 / 214 177 672 Telemóvel (+351) 91 439 62 67
Fax (+351) 214 188 409 E-mail info@ktb.pt Site http://www.ktb.pt
KTB
KTB
KTB
Caso pretender ser retirado da mailing list da KTB, por favor clique aqui.
© 2012 - KTB. Todos os direitos reservados.

Arquivo de Newsletters

MenteCorpoSaúde

Adoçantes artificiais

Adoçantes artificiais

Estudos clínicos demonstraram que os adoçantes artificiais estimulam o apetite, aumentam o desejo de ingerir hidratos de carbono e produzem uma varidedade de disfunções metabólicas que promovem a acumulação de gordura e o aumento de peso.

ler mais »

Newsletter do mês

Polimedicação - Newsletter nº53

Polimedicação - Newsletter nº53

Vivemos hoje em dia um enorme e arriscado problema de polimedicação, também conhecido como a “doença do saco”.

ler mais »