Newsletter

   
KTB
show/hide Cesto de Compras (0 items)

pH do organismo - Newsletter nº23

22/01/2014

ktb  
ktb
ktb
ktb
ktb
Janeiro 2014
ktb
NOVIDADE:
Este mês, no nosso site (www.ktb.pt), damos início à nova rubrica - MenteCorpoSaúde - onde vamos falar sobre temas ligados à saúde. O primeiro tema abordado é sobre Organismos Geneticamente Modificados (OMGs).
Venha visitar-nos em: www.ktb.pt/tendencias.aspx


ktb

Hoje em dia muito se fala sobre o pH do organismo. É já do conhecimento científico que os microrganismos patológicos se desenvolvem quando o pH sofre uma alteração tornando-se mais ácido. Um meio interno ácido é pois o meio ideal para as doenças se propagarem.

O pH do sangue deverá estar idealmente entre 7,365 e 7,450, contudo este é um equilíbrio difícil de alcançar uma vez que a dieta é usualmente baseada em alimentos acidificantes. Fatores como stress e instabilidade imunológica irão também influenciar o pH do sangue acidificando-o.

Para se perceber melhor esta questão há que saber que a escala de pH vai de 0 a 14, sendo o valor de 7 o correspondente à neutralidade. Os alimentos acima de 7 são alcalinos, e os alimentos abaixo de 7 são ácidos. As águas engarrafadas têm também valores de pH diferentes, sendo umas mais ácidas e outras mais alcalinas, dependente do solo de onde foram retiradas.

ktb

Como já anteriormente referido, a doença desenvolve-se em estados internos de acidez. Para manter um equilíbrio ácido-básico saudável, os especialistas recomendam uma dieta alimentar composta na proporção de 80/20 a favorecer os alimentos alcalinos. Quando se consome uma dieta predominantemente ácida, corre-se o risco de entrar em acidose. A acidose é um aumento na acidez do sangue e outros tecidos corporais. A acidose ocorre quando o pH arterial cai abaixo dos 7,35. O nível de pH sanguíneo afeta todas as células do nosso organismo. A acidose crónica afecta os tecidos, e se não for corrigida, altera e perturba todas as funções e atividades celulares.

O ser humano tem vários mecanismos tampões que auto-regulam o pH, envolvendo os rins, os pulmões, os ossos, a pele, etc.. Os pulmões ajudam ao excretar ácido carbónico. Os rins excretam ácidos através da urina, tendo sido estes primeiro neutralizados ao utilizarem compostos minerais presentes no sangue e nos tecidos (como por exemplo o tecido muscular ). Mas se os rins enfrentarem níveis excessivos de ácidos ou se não houver minerais suficientes no sangue e nos tecidos, o organismo é forçado a retirar das reservas minerais da nossa estrutura óssea.

Como é que os ossos ajudam a manter o equilíbrio do pH?

A grande maioria dos complexos alcalinizantes do nosso organismo existem nos ossos, onde servem dois propósitos:

1.Proporcionar uma estrutura sólida e resistente ao osso.
2.Manter uma reserva mineral para regular o pH sanguíneo

ktb

Estes complexos alcalinizantes ou “básicos” neutralizam os efeitos de qualquer desvio da acidez sanguínea. Mesmo com variações mínimas na acidez, o corpo retira minerais alcalinizantes, primeiro do sangue, caso necessário, dos tecidos e em último lugar dos ossos. Ao fazer por tempo prolongado uma dieta desequilibrada que inclui um excesso de proteína animal, cereais refinados, açúcar, álcool, sal, pouca fruta e poucos legumes, o organismo é forçado a entrar num estado de acidose ligeira. O “stress”, exercício físico em excesso ou insuficiente, assim como as toxinas ambientais, a que estamos expostos diariamente, fazem aumentar a acidez no organismo. A longo prazo, este estado de acidose mantida, requer que mais reservas minerais sejam retiradas dos ossos para ajudar a manter o equilíbrio ácido-básico. Estes minerais incluem o sódio, o potássio, o magnésio e o cálcio. O corpo acaba por literalmente “gastar” estes minerais, com a finalidade única mas nobre e essencial, de restabelecer o equilíbrio, evitando o excesso de acidez e o consequente dano. Ou seja, como exemplo do resultado da acidose mantida, terá inicio o processo patológico da desmineralização óssea responsável pela osteoporose.

Quais os sintomas da acidificação do organismo?

  • Cefaleias
  • Sonolência
  • Confusão
  • Falta de concentração
  • Diarreia
  • Falta de ar
  • Azia
  • Refluxo gastro esofágico
  • Produção excessiva de muco
  • Congestão nasal contínua
  • Constipações frequentes
  • Ansiedade, irritabilidade e nervosismo
ktb

Os alimentos ácidos incluem:

  • Açúcar refinado
  • Chocolate (à exceção do cacau puro)
  • Trigo e farinhas brancas
  • Carne não biológica
  • Marisco
  • Leite, queijo, bem como os demais produtos lácteos
  • Alimentos processados
  • Cerveja (sendo menor a acidez na cerveja de cidra) e refrigerantes.

Para se ter um pH interno saudável e potenciador de saúde a todos os níveis apresentamos algumas medidas:

Sais de Schussler
Sal de Schussler nº 9 - Natrium phosphoricum D6
(o sal do equilíbrio ácido-básico)
O Natrium phosphoricum (fosfato de sódio) está largamente distribuído por todo o organismo. É um agente neutralisador nas hiperacidoses de todo o tipo: desempenha uma função essencial na troca de ácido carbónico e no metabolismo do ácido láctico que o organismo produz. É também importante para a eliminação dos produtos finais do metabolismo.
Tem aplicação como coadjuvante no tratamento de doenças agudas e crónicas por transtornos metabólicos, como por exemplo na diabetes, na gota, no reumatismo, na cistite, na pirose e na azia.
Como tomar? 1 a 2 comprimidos sub-linguais, 2 a 3 vezes ao dia meia hora antes ou hora e meia após as refeições.
saiba mais

  • Fruta, como por exemplo limão, cerejas, tâmaras, figos, nectarinas, pêras, melancia, maçã, banana e abacate. (De notar que por vezes frutas que são ácidas na boca têm uma ação alcalinizante no organismo como o caso do limão.)
  • Legumes, como por exemplo: brócolos, couves, batata-doce, aipo, beterraba, pepino, abóbora, alho, gengibre e erva-trigo.
  • Algas, como por exemplo spirulina e clorela.
  • Ervas aromáticas (coentros, manjericão, salsa, hortelã, cebolinho, orégãos, tomilho, etc.) e especiarias (açafrão, pimenta preta, noz-moscada, cominhos, etc.).
  • Beber bastante água, de preferência com o pH 7 ou superior.
  • Fazer exercício físico regular.
  • Dormir bem.
  • Ter contacto com a Natureza.

Modificações alimentares não vão, por si só, alterar os níveis de acidez de qualquer parte do seu organismo excepto os da urina. O sangue e os órgãos controlam a acidose dentro de limites muito estreitos. O que se propõe aqui são sugestões para ajudar o nosso corpo a não ter que recorrer demasiadas vezes às nossas reservas ósseas. Vamos precisar delas mais tarde...

ktb

Como trocar alguns ingredientes comuns por outros para melhorar o seu pH:

Aqui seguem algumas sugestões de substituições que podem ser feitas no nosso dia-a-dia:

Nota: Pessoas que sofram de insuficiência renal aguda ou crónica não são aconselhadas a seguirem uma dieta alcalina a não ser sob supervisão médica. Doentes com doenças cardíacas pre-existentes ou que estejam a fazer medicação que afete os níveis de potássio devem primeiro aconselhar-se com o seu médico.

Em vez de:Substitui com:
Manteiga Azeite
Fruta enlatada Fruta fresca
Café Infusões
Molhos Ervas e especiarias frescas
Amendoim Amêndoa ou castanhas
Carne vermelha Carne de aves ou tofu
Refrigerantes Água com gás
Açúcar Mel
Arroz branco Arroz integral, basmati ou selvagem

ktb
Temos o prazer de informar todos os interessados de que estão marcadas as seguintes formações:
8 fevereiro - Formação de Sais de Schussler no Porto para podologistas
22 fevereiro - Formação DHU em Lisboa

Caso queiram participar, por favor contactem-nos por email: info@ktb.pt ou por telefone: 21 418 8407.


ktb
ktb
ktb
ktb
Morada Estrada Nacional 249/1 Edifício SKF, Lote 1, Casal de Alfragide
2720-413 Amadora
Telefone (+351) 214 188 407 / 214 177 672 Telemóvel (+351) 91 439 62 67
Fax (+351) 214 188 409 E-mail info@ktb.pt Site http://www.ktb.pt
ktb
ktb
ktb  
© 2014 - KTB. Todos os direitos reservados.

Arquivo de Newsletters

MenteCorpoSaúde

Adoçantes artificiais

Adoçantes artificiais

Estudos clínicos demonstraram que os adoçantes artificiais estimulam o apetite, aumentam o desejo de ingerir hidratos de carbono e produzem uma varidedade de disfunções metabólicas que promovem a acumulação de gordura e o aumento de peso.

ler mais »

Newsletter do mês

Polimedicação - Newsletter nº53

Polimedicação - Newsletter nº53

Vivemos hoje em dia um enorme e arriscado problema de polimedicação, também conhecido como a “doença do saco”.

ler mais »